Seguidores

domingo, 3 de fevereiro de 2019

A EXPECTATIVA DE INVERNO PARA O AGRICULTOR SERRINHENSE NESTE 2019

Imagem de 2018

Diante do excelente inverno que tivemos no ano passado quando já vínhamos bastante sofridos de sete "secas-verdes", em 2018 fomos agraciados com chuvas maravilhosas, belas lavouras e açudes sangrando ou a ponto de sangrar... A expectativa para esse de 2019 era de que o inverno viesse complementar o do ano passado e confirmar que os tempos de estiagem finalmente teriam dado uma trégua para nós. Porém, frente a realidade, já temos agricultores preocupados devido a escassez de chuvas onde as lavouras já começam a murchar.
Desde 2011 Serrinha dos Pintos vinha sendo muito castigada pela falta de um bom inverno assim com as regiões adjacentes.  açudes secaram, a produtividade caiu quase que por completo e, quem mais sofreu foram os animais. Em fevereiro de 2013 vivenciamos o milagre da chuva de quase 200mm. Há quem diga que ultrapassou essa medida. Com isso os açudes da cidade conseguiu acumular um volume espantoso de água o qual nos supriu por dois anos. Contudo, infelizmente, continuamos sem ter um bom inverno até 2017. Os açudes voltaram a secar e... para resumir, passamos a ser abastecidos por carros-pipa. 
Para 2018 as previsões eram de um inverno um pouco melhor que os anteriores, mas, cansados de tanto sofrimento, a maioria dos agricultores desta cidade já nem acreditava mais. Porém, as previsões se cumpriram sendo, inclusive, melhores que o esperado. Tivemos uma constância de chuvas grossas e duradouras resultando na recuperação de captação de todos os reservatórios do município. Todos os açudes de pequeno porte sangraram, os demais acumularam bastante água, sedo que o açude do Camarão, que é um dos maiores, esteve a ponto de sangrar; Quem plantou pode colher com satisfação; Os animais puderam se fartar de pasto verde e renovado. A pesar do inverno ter brecado, de vez, em maio, o que não é de praxe, a população serrinhense ficou agradecida e satisfeita já prevendo que em 2019 o inverno seria ainda melhor e, com isso se confirmaria uma trégua de tanto tempo de "secas-verdes" e dificuldades por água tendo em vista que neste ano os açudes que não haviam sangrado em 2018, sangrariam agora.
Imagens de 2018:



Com essa expectativa o agricultor terminou 2018 observando as manifestações da natureza, as quais faziam com que aumentasse ainda mais a esperança de um bom inverno e ótima colheita. Alguns estudiosos também reforçavam essa crença quando diziam que o inverno de modo geral, para o Rio Grande do Norte, seria de regular para acima da média. 
Fato é que janeiro se apresentou com algumas poucas chuvas grossas, porém muito rápidas. O agricultor logo fez seu plantio. Com a plantação já toda nascida as chuvas cessaram. A maioria das lavouras agora sofre com o ataque da praga da lagarta e a falta de água. É possível observar que, a partir das 9hs da manhã, com o sol escaldante, as plantinhas começam murchar e isso deixa o homem do campo muito entristecido e até desanimado. Alguns já desconfiam que teremos uma nova "seca-verde" pois janeiro não cumpriu seu papel de ser o mês mais chuvoso sendo que estamos há 03 de fevereiro somando mais de 15 dias sem chuva. Para reforçar esse temos, também no final do ano passado, meteorologistas alertavam para a possibilidade de termos nova seca neste ano de 2019.

Imagens de hoje:



O agricultor teme ter perdido a semente plantada bem como seu trabalho, pior, teme as consequências de mais um ano sem inverno. No entanto, não é tempo de desacreditar, pois já vimos o inverno "pegar" na segunda quinzena de março e obtermos bons resultados no final. Devemos manter a esperança e acreditar em tempos melhores. Se não for possível recuperar a lavoura, que plantemos outras sementes então.

Nenhum comentário:

Postar um comentário