Seguidores

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Votação histórica nas Nações Unidas aprova proibição de armas nucleares

Da ONU News *
A presidente da conferência, Elayne Gomez, destacou o "momento histórico" da assinatura do primeiro tratado multilateral de desarmamento nuclear
A presidente da conferência, Elayne Gomez, destacou o "momento histórico" da assinatura do primeiro tratado multilateral de desarmamento nuclearFoto: ONU News - Divulgação
As Nações Unidas adotaram nesta sexta-feira (7) o primeiro tratado legalmente vinculativo de proibição de armas nucleares. O documento foi aprovado com 122 votos a favor, uma abstenção (de Singapura) e um voto contra (da Holanda) e prevê que os países que o ratificaram "nunca sob nenhuma circunstância devem desenvolver, testar, produzir, fabricar, adquirir, possuir ou armazenar armas nucleares ou outros dispositivos explosivos nucleares". A informação é da ONU News.
O documento também proíbe qualquer transferência ou uso desse tipo de armamento, além da ameaça do uso dessas armas. Antes da adoção, a presidente da conferência das Nações Unidas que negociou o tratado, Elayne Whyte Gomez, destacou o "momento histórico" pela conclusão positiva do primeiro acordo multilateral de desarmamento nuclear em mais de 20 anos.
Elayne, que também é embaixadora da Costa Rica junto à ONU em Genebra disse que essa norma legal era aguardada há 70 anos, desde o uso das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki, no Japão, final da Segunda Guerra Mundial, em agosto de 1945.
Um total de 141 países participaram nas três semanas de negociações do tratado, que preconiza uma proibição total de armas nucleares, liderados pela Áustria, Brasil, México, África do Sul e Nova Zelândia. Nenhum dos nove países do mundo que possuem armas nucleares -- Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França, Israel, China, Índia, Paquistão e Coreia do Norte -- participou nas negociações.

* Com informações da Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.