Seguidores

sexta-feira, 7 de julho de 2017

CALOURA DA UFERSA ENTRA EM COMA ALCOÓLICO APÓS TROTE DE VETERANOS EM MOSSORÓ-RN,TRÊS ALUNOS SÃO PRESOS

O trote acadêmico pode ser conceituado em um "ritual de aceitação". Infelizmente, essa prática é, na grande maioria, violenta e constrangedora. 
Essas atividade que tem levado calouros, novatos, a sentirem medo de ingressarem nas universidades levou a prisão três estudantes da  Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), na tarde desta quinta feira, 06 de julho de 2017, em Mossoró no Rio Grande do Norte.
A ocorrência teve início na Unidade de Pronto Atendimento - UPA do Alto de São Manoel, quando a estudante que é menor de idade deu entrada naquela Unidade de Saúde em coma alcoólico.
Desconfiada a assistente social avisou a polícia através do 190, e a ROCAM foi até o local e conduziu três estudantes que levaram a jovem até a 1° Delegacia no Alto de São Manoel.
Eles foram identificados como: Josiellerson Giordano Ferreira da Silva, Mateus Freire Bezerra, e Alef Vinicius Almeida Rebouças.
Na delegacia os estudantes informaram a autoridade policial, que a aluna não foi constrangida, e que ela juntamente com outros calouros participaram do trote por livre e espontânea vontade, e que não sabiam informar quem teria dado diretamente o litro de cachaça e determinado que a caloura o ingerisse.
Os estudantes foram conduzidos para a 1° Delegacia de Polícia e apresentados ao Delegado José Vieira de Castro e foram autuados no Art. 243. Vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente, bebida alcoólica ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica.
Após pagar fiança de um salário mínimo os estudantes foram liberados.
Até o fechamento dessa matéria não tivemos informações sobre o estado de saúde da estudante.
  

DIREITO DE RESPOSTA: ESTUDANTES AUTUADOS POR FORNECER BEBIDA ALCOÓLICA EM TROTE A CALOURA DA UFERSA EMITEM NOTA


Nota:
Em momento algum de nós 3 demos bebidas alcoólicas a jovem citada na matéria em questão envolvendo alunos da UFERSA. 
Estávamos participando do trote normalmente, quando vimos o estado da caloura e logo então, nós nos prontificamos de prestar socorro a mesma. Levamos ela para a UPA do São Manoel, e até agora estamos sem entender como nós tivemos as melhores intenções em ajudar a menina e fomos acusados dessa forma, como se fôssemos marginais? 
Somos estudantes e estamos começando nossas vidas e do nada acontecer uma coisa desagradável como está. 
Como não conseguimos contato com familiares da menina, resolvemos ficar e aguardar os resultados e a situação de saúde dela. Que tem de mais nisso? 
Não sabemos quem deu bebida a ela, garantimos que não partiu de nós três. 
Fomos espontaneamente para a Delegacia ao qual delegado nos recebeu bem, porém ficamos boa parte do tempo presos em uma cela, como se fôssemos marginais o que não somos, e em seguida fomos ouvidos e liberados. 
Queremos aqui consternar nossa indignação pela injustiça a nós causada. 
Esperamos que todos fiquem bem e que a sociedade em si não façam julgamentos alheios pois temos família, amigos e o mais importante, uma vida inteira pela frente. Agradecemos o espaço e o direito de resposta.
 
 
 Veja as matérias originais clicando AQUI e AQUI
 
Fonte: Passando na Hora
 
********************************************
Do Gardeniaoliveira: Só duas perguntinhas bem básicas: Até quando essas entidades de ensino superior vão continuar permitindo esse tipo de "brincadeira de mau gosto" que recebe o nome de trote?. O que isso tem de educativo ou, qual relação isso tem com a educação?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.