Seguidores

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Chuvas deixam mortos e mais de 33 mil fora de casa em ao menos 36 cidades de PE e AL

Governo de Pernambuco decretou estado de calamidade em 14 municípios 

O Corpo de Bombeiros de Alagoas está com atenção especial para as lagoas Mundaú e Manguaba Thiago Sampaio/Divulgação Governo AL
As fortes chuvas que atingiram o Nordeste no fim de semana deixaram ao menos sete mortos e cerca de 33 mil pessoas fora de casa em 36 municípios de Pernambuco e Alagoas. 
Em Alagoas, o Corpo de Bombeiros Militar apresentou boletim na manhã desta segunda-feira (29) do quadro dos municípios afetados pelos temporais. Ao todo, 22 cidades foram afetadas, 553 famílias desabrigadas, 1.778 desalojadas e 750 relocadas (Marechal Deodoro) e foram registrados até o momento quatro mortes.
Ainda segundo o balanço, continuam as buscas no bairro Santo Amaro, em Maceió, com ajuda de uma retroescavadora. Em Satuba, uma adolescente de 13 anos estava nadando no rio Mundaú com amigos e desapareceu.
O Corpo de Bombeiros está com atenção especial para as lagoas Mundaú e Manguaba, que, mesmo com a diminuição das chuvas, devem seguir elevando o nível.
Em Pernambuco, o governo do Estado fala em cerca de 30 mil desabrigados e desalojados e três mortes. Os dados serão atualizados nesta tarde. Após o grande volume de chuva que atingiu municípios do Agreste e da Zona da Mata Sul de Pernambuco, o governador Paulo Câmara decretou calamidade em 14 cidades e a instalação, em cada um deles, de gabinete de crise. São eles: Belém de Maria, Palmares, Amaraji, Maraial, Ribeirão, Cortês, Barra de Guabiraba, Gameleira, São Benedito do Sul, Rio Formoso, Catende, Água Preta, Jaqueira e Barreiros.
O governador se reuniu na manhã de domingo no Palácio do Campo das Princesas com o secretariado e as forças operativas para monitorar a situação e planejar as diretrizes para conter os impactos das enchentes dos municípios afetados. Ele destacou que em comparação com as fortes chuvas que ocorreram em 2010 no Estado, atingindo grande parte da Mata Sul, a situação atual é ainda mais grave.
Governador Paulo Câmara sobrevoou regiões mais afetadas Aluisio Moreira/SEI
De acordo com informações do site do governo do Estado, Câmara sobrevoou as principais regiões atingidas. O governador também afirmou que 200 homens já foram enviados para os municípios, tanto do Corpo de Bombeiros, quanto da Defesa Civil do Estado e que irão se juntar às corporações municipais. Ainda de acordo com o governo, o trabalho humanitário também já está sendo realizado com a entrega de mantimentos nos municípios. 
Além disso, outras ações que estão sendo realizadas são: monitoramento dos reservatórios por meio da Compesa (Companhia Pernambucana de Abastecimento), para avaliar a necessidade de abertura ou não de comportas; o deslocamento de duas aeronaves sobrevoando as áreas de risco; o levantamento da situação dos acessos e estradas, através de engenheiros do DER-PE (Departamento de Estradas e Rodagens de Pernambuco) e Sechab (Secretaria de Habitação); disponibilização de prédios públicos para servirem de abrigo; deslocamento de três equipes de saúde para a Mata Sul. O Governo do Estado também solicitou apoio do Governo Federal, por meio dos ministérios da Cidade e da Defesa. 
Temporal em 2010
Na última vez em que enfrentou chuvas intensas, em 2010, Pernambuco teve cidades destruídas e cerca de 80 mil desabrigados e desalojados. Desta vez, no município de Rio Formoso, por exemplo, onde mais choveu no estado, foram quase 400 milímetros de chuva no final de semana. São quase 100 milímetros a mais que na última enchente.
Das cinco barragens anunciadas, em 2010, para impedir novo desastre, nas proporções observadas à época, apenas uma será inaugurada: o reservatório de Serro Azul, localizado na cidade de Palmares. Quatro obras foram paralisadas em anos diferentes, até 2014. Um dos motivos, segundo o governo estadual, foi a falta de repasse de recursos federais.
Na noite de domingo, o presidente Michel Temer (PDMB), em reunião com o governador Paulo Câmara, se comprometeu a agilizar recursos para as obras. Segundo a assessoria, a liberação de R$ 600 milhões em empréstimo do BNDES (Banco de Desenvolvimento Econômico e Social) foi autorizada pela Secretaria do Tesouro Nacional.
Uma equipe técnica da Sedec (Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil) do Ministério da Integração Nacional chegou nesta segunda-feira ao estado de Pernambuco. O objetivo é auxiliar o governo estadual nas ações emergenciais de socorro e assistência à população afetada pelas fortes chuvas dos últimos dias. Durante a visita, será avaliada a melhor medida de apoio emergencial e o valor de recurso que será investido em parceria com a defesa civil local.
O Ministério da Defesa informou que enviou 100 militares do Exército e 10 viaturas a Alagoas para auxiliar no resgate a moradores em áreas de risco ou isoladas. Para Pernambuco “estão sendo enviados dois helicópteros da Força Aérea e da Marinha para o transporte de pessoas em locais de difícil acesso”. Até a publicação desta reportagem, não houve retorno a respeito do hospital de campanha solicitado pelo governador Paulo Câmara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.