Seguidores

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Presos entram em confronto na maior penitenciária do RN

Detentos tentam invadir pavilhão de facção rival.
PM tenta conter os presos com bombas de efeito moral. 
*Do G1 RN

Detentos entram em confronto novamente na Penitenciária Estadual de Alcaçuz (Foto: Fred Carvalho/G1)

Presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, entraram em confronto na manhã desta terça-feira (17). A informação foi confirmada pelo Comando da Guarda da unidade prisional. Os presos dos pavilhões 1, 2, 3 e 4 tentaram invadir o pavilhão 5. Eles estavam com paus, pedras e facas. A PM tentava conter a situação com bombas de efeito moral e tiros de arma não letal. "A situação é muito tensa", disse o major Wellington Camilo, do Comando da Guarda Penitenciária.

A Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc) disse que a situação é tensa, mas que não pode confirmar uma nova rebelião.

Rebelião
Segundo o secretário de Justiça e Cidadania (Sejuc), Wallber Virgolino, a rebelião em Alcaçuz começou na tarde do sábado logo após o horário de visita. O secretário disse que os presos do pavilhão 5, que abriga integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), usando armas brancas, quebraram parte de um muro e invadiram o pavilhão 4, onde há presos que integram o Sindicato do Crime, facção criminosa rival do PCC. Ainda de acordo com Virgolino, todos os 26 mortos são do Sindicato.

Os cinco presos apontados pela Secretaria de Segurança Pública como chefes da facção que promoveu a matança de presos em Alcaçuz foram levados para a Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), em Natal, na tarde desta segunda, para prestar depoimento a uma comissão de delegados e, de lá, transferidos para outra unidade prisional.

O governador Robinson Faria publicou no Twitter, nesta segunda-feira, que pediria ao Governo Federal mais agentes da Força Nacional para atuar no estado.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.