Seguidores

sábado, 21 de janeiro de 2017

PM entra em Alcaçuz para erguer muro de contêineres e separar presos


Segundo o governo, ação é temporária até muro definitivo ser construído.
Presídio está com presos rebelados há 8 dias; pelo menos 26 morreram.

Anderson Barbosa, Fernanda Zauli e Fred Carvalho
 Do G1 RNVeículo blindado da PM foi o primeiro a entrar no presídio (Foto: Fred Carvalho/G1) (Foto: Fred Carvalho/G1)Veículo blindado da PM foi o primeiro a entrar no presídio (Foto: Fred Carvalho/G1)

Muro será erguido para separar facções rivais em Alcaçuz (Foto: Reprodução/TV Globo)Muro será erguido para separar facções rivais em Alcaçuz (Foto: Reprodução/TV Globo)
 
A Polícia Militar entrou na Penitenciária Estadual de Alcaçuz por volta das 10h50 (horário de Brasília) deste sábado (21) para erguer um muro de contêineres. O objetivo é separar presos de duas facções que estão rebelados e se confrontando há oito dias dentro do presídio – o maior do Rio Grande do Norte. Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal.

No fim de semana passado, durante a invasão de um pavilhão, pelo menos 26 detentos foram mortos. Na quinta (19), após novo enfrentamento, muitos presos ficaram feridos. A PM confirma que há novos mortos dentro da unidade, mas não informou o número.
Por volta das 11h30, o primeiro contêiner foi transportado para dentro da unidade, ocupada por membros do Batalhão de Choque durante a manhã. Não houve confrontos neste sábado.
Segundo a Secretaria de Segurança Pública, equipes da Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) estão no local e, após a instalação dos contêineres, vão entrar no presídio para realizar o esgotamento das fossas à procura de corpos no presídio.
A barreira de contêineres, segundo o governo, é uma medida temporária até que um muro definitivo seja construído dividindo os pavilhões 1, 2 e 3 (ocupados por membros do Sindicato do RN) dos pavilhões 4 e 5 (dominados pelo PCC).
Participam da ação o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Batalhão de Choque (BPChoque) e Grupo de Operações Especiais (GOE). O helicóptero Potiguar 1, aeronave da Secretaria de Segurança Pública, também está sobrevoando Alcaçuz. No início da operação, os policiais chegaram a usar bomba de efeito moral para evitar qualquer reação dos presos.


Como medida paliativa, containers serão usados para separar presos de facções rivais (Foto: Fred Carvalho/G1)Como medida paliativa, containers serão usados para separar presos de facções rivais (Foto: Fred Carvalho/G1)
19/01 - Presos são vistos durante um confronto de facções na penitenciária de Alcaçuz, perto de Natal, no Rio Grande do Norte (Foto: Josemar Gonçalves/Reuters)Na manhã da quinta-feira (19), presos se confrontaram em uma verdadeira 'batalha campal' dentro de Alcaçuz (Foto: Josemar Gonçalves/Reuters)

Rebeliões
Nesta sexta-feira (20), em Natal, o ministro da Defesa Raul Jungmann disse que o governo federal não vai "admitir descontrole". Militares das Forças Armadas estão na capital potiguar para garantir a segurança nas ruas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.