Seguidores

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Violência: Governo confirma 1.308 homicídios em oito meses e destaca redução de crimes em Natal

A Câmara Técnica de Monitoramento dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) reuniu-se na manhã de quinta-feira (8) para apresentar os índices da segurança pública no Rio Grande do Norte no período de janeiro a agosto de 2016, bem como as macrocausas da violência no Estado e discutir formas de ampliar as ações de prevenção, visando a redução da criminalidade.
Os dados apresentados pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (COINE) da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) trazem como destaque positivo a redução de cerca de 21% dos assassinatos na capital potiguar no mês de agosto quando comparado com o mês passado. Neste mês foram registrados 42 casos em Natal contra 53 no mês de julho e 56 nos meses de maio e junho. As zonas Norte e Leste de Natal foram as que apresentaram as maiores reduções de crimes letais, 50% e 57% respectivamente.

De acordo com o coordenador de informações estatísticas e análises criminais (COINE) da Sesed, Kleber Maciel, “a redução dos índices de CVLIs na capital em agosto pode ser atribuída a maior ostensividade das forças de segurança pública na cidade que, neste período, atuaram integradas as tropas federais, além das operações que resultaram na prisão de dezenas de infratores envolvidos em atos de vandalismo contra transportes e prédios públicos”.

Já a cidade de Mossoró, apesar de ter apresentado em agosto três casos a mais de CVLIs, em comparação ao mês passado, manteve uma redução de 26,3% em comparação aos meses de maio e junho deste ano. A cidade registrou em agosto 14 casos de assassinatos.

As estatísticas da COINE ainda demonstram que o mês de agosto registrou 166 casos de CVLIs em todo o estado, ou seja, um crescimento de sete casos a mais que o mês de julho deste ano (159). Apesar disso, o mês de agosto manteve a tendência de queda dos índices de CVLIs em comparação ao mês de maio, quando foi registrado o maior pico do ano com 180 casos.

No total, os índices dos oito primeiros meses de 2016 no estado do Rio Grande do Norte ainda são maiores do que o mesmo período de 2015, ou seja, 1.308 CVLIs contra 1.068. A região Leste Potiguar apresentou o maior número de CVLI, com 806 casos, seguido pelo Oeste (307), Agreste (123) e Central Potiguar (72). Natal aparece com 393 registros e Mossoró com 154.

Participaram da consolidação dos dados da COINE, os órgãos membros da Câmara Técnica de Monitoramento do CVLI. Entre eles, estavam representantes do Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conselho Estadual da Criança e Adolescente, Conselho Estadual dos Direitos Humanos, além da Sesed.

Apreensões de armas de fogo aumentam

Outro ponto de destaque apresentado está para o crescimento anual de 22,7% na apreensão de armas de fogo (519) na região Metropolitana de Natal em relação ao mesmo período em 2015 (423) e de quase 33% em comparação com 2014 (350), o que demonstra uma maior produtividade das policias.

Crimes relacionados a drogas lideram com 61,2% as macrocausas da violência homicida

Entre as macrocausas da violência homicida, as drogas lideram com 800 casos, ou seja, 61,2% dos crimes registrados, seguido pela violência interpessoal (16,4%).

Apesar do esforço das polícias em apreenderem armas de fogo, ela segue na liderança entre os meios mais utilizados para a prática de CVLIs, em 2016, com 1.134 casos, seguido pela arma branca com 98 registros.

Quanto ao perfil das vítimas, o relatório traz o sexo masculino como o mais vulnerável com 1.238 casos, contra 67 do sexo feminino. Além disso, pessoas entre 16 e 23 anos e 31 à 39 anos e solteiras representam mais de 80% das vítimas. Em agosto deste ano foram registrados 13 casos de CVLIs envolvendo mulheres.

Confira aqui  a íntegra do relatório da Sesed.

Fonte: Sesed/RN
Via: O Mural de Riacho da Cruz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.