Seguidores

domingo, 14 de agosto de 2016

Pesquisadores da USP criam técnica para tratar lesões no colo do útero

Técnica criada por cientistas da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos é capaz de tratar lesões pré-cancerígenas no colo do útero de maneira menos invasiva, usando um processo chamado terapia fotodinâmica. Quando não tratadas, essas lesões podem levar ao câncer do colo do útero, o terceiro tipo de câncer mais comum na população feminina.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é de que 16.340 mil novos casos de câncer do colo do útero surjam neste ano. Para evitar a disseminação da doença, o estudo, inciado em 2011 pelos pesquisadores Natalia Mayumi Inada e Vanderlei Salvador Bagnato, começou eliminando verrugas causadas pelo papiloma vírus humano (HPV).

Por meio da terapia fotodinâmica, a paciente aplica, na região do colo do útero, um creme capaz de entrar na célula e criar uma substância fotosensibilizadora. Com a paciente deitada em posição ginecológica, o equipamento que projeta luz é introduzido durante 20 minutos.

“Em contato com a luz, em determinado comprimento de onda, é feito o efeito fotodinâmico. São reações físicas e químicas que vão matar a lesão. A ideia da terapia fotodinâmica é um tratamento não invasivo, que reduz ou elimina a lesão”, explica a pesquisadora da USP que trabalha no projeto, Fernanda Mansano Carbinatto.

As pacientes tratadas no primeiro estágio da pesquisa alcançaram 100% de cura. Diante do sucesso, o equipamento foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e já é comercializado para o tratamento de lesões de baixo grau. O desafio dos pesquisadores, agora, é investigar o desempenho da terapia em lesões pré-malignas, ou seja, em estágios mais avançados.

Via: Robson Pires/ Martins em Pauta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.