Seguidores

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Mossoró/RN: A polícia registra mais dois assassinatos na cidade

*144ª Morte violenta: Agricultor é retirado de casa, algemado e morto com mais de 30 tiros de pistola e escopeta no Mulunguzinho

O crime aconteceu no início da noite de quarta-feira, 10 de agosto, no projeto de Assentamento Mulunguzinho, zona rural de Mossoró, no Oeste do Rio Grande do Norte.
Cleudinilde Cunha de Brito de 28 anos de idade, foi morto com tiros de pistolas 380, ponto 40 e uma descarga na cabeça de escopeta calibre 12.

Segundo informações, três elementos dizendo ser polícia, encapuzados e vestindo roupas pretas, chegaram na casa da família pelas portas dos fundos. Eles mandaram que os pais e a esposa, deitassem e anunciaram a prisão, dizendo que iriam levar Cleudinilde preso para a cidade de Areia Branca.

Quando saíram fora da casa, já chegando próximo a porteira do quintal, atiraram nele várias vezes. A perícia criminal recolheu mais de 30 cartuchos deflagrados de pistola e 01 de escopeta calibre 12.

A polícia recebeu informações da família, que Cleudinilde respondia dois processos na Justiça por violência doméstica e porte ilegal de arma de fogo. Noutra informação que não foi confirmada pela família, a vítima estava com problema no pagamento de uma motocicleta, mas a família não sabe se ele vinha sofrendo algum tipo de ameaça.

A Polícia Militar fez o isolamento para os procedimentos realizados no local, pelas equipes da Delegacia de Plantão e do Itep, para onde o corpo de Cleudinilde Cunha de Brito foi removido para ser necropsiado. 


*145ª Morte violenta: Pedreiro é morto na frente de sua casa no Belo Horizonte

Na manhã de hoje, 11 de agosto, mais uma morte violenta provocada por disparos de arma de fogo foi registrada.

O pedreiro Manoel Francisco da Mota, de 51 anos de idade, foi baleado com três disparos de arma de fogo na frente de sua casa na Rua Marinho Dantas no bairro belo Horizonte e morreu no local.

Manoel da Batatinha, como era conhecida a vítima, foi encontrado morto no meio da rua, mas ninguém sabe o que teria acontecido. A polícia recebeu informações de populares que o mesmo teria participado de uma tentativa de homicídio, mas segundo a família, ele era trabalhador e não tinha inimigos.

Segundo informações, Manoel trabalhava como pedreiro no Hospital da Policia Militar e nos finais de semanas e feriados, vendia batatinhas em frente ao teatro no centro de Mossoró para complementar a renda da família.

Quando um dos filhos de Manoel chegou ao local encontrou o portão da frente da casa aberto e com marca de um disparo. O perito criminal Jader Viana identificou três perfurações, nas costas e cabeça de Manoel, provocadas pelos disparos.

O corpo foi removido e será necropsiado na sede da Unidade Regional do Itep em Mossoró. 
Informações e imagens: O Câmera.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.