Seguidores

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Polícia prende segundo suspeito de confrontar e matar 3 PMs em Quixadá/CE

armas apreendidas
A polícia prendeu o segundo suspeito de participação no confronto que resultou na morte na morte dos três policiais militares em Quixadá, no interior do Ceará, em 30 de junho. Um terceiro suspeito de envolvimento no crime morreu em um novo confronto com policiais, nesta segunda-feira (05/07). De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, desde a data do crime os policiais civis e militares participam de uma força-tarefa para tentar localizar e prender os autores do crime.

José Adailson da Silva (27), conhecido como "U", é apontado como um dos participantes do crime que matou o sargento da Polícia Militar Francisco Guanabara Filho (50), do soldado Antonio Lopes Miranda Filho (33) e do cabo Antonio Joel de Oliveira Pinto (33).

De acordo com a SSPDS, José Adailson tomou um ônibus escolar em um distrito de Itapiúna, levando junto o motorista do veículo, que foi liberado posteriormente. O transporte foi utilizado para auxiliar na fuga dos criminosos após o confronto com os PMs. Nesta segunda, ele morreu quando trocou tiros com policiais que iriam efetuar a prisão.

Outros dois suspeitos, identificados como Antônio e Dimas, foram conduzidos à delegacia. De acordo com as investigações, a dupla presa dava apoio ao bando do qual “U” era participante. Eles confessaram, em depoimento à Polícia Civil que guardavam armas a pedido do infrator morto.

No local da prisão, na comunidade Entre Rios, entre Canindé e Choró, a PM diz ter apreendido dois revólveres e munições calibre 38, uma balaclava e fardamento camuflado.

Outras três pessoas que eram apontadas como supostos participantes do crime se apresentaram nesta terça-feira à delegacia de Quixadá, acompanhado de advogados, para relatar que não tiveram participação no crime. Eles foram ouvidos pela polícia e em seguida liberados.

Sobrevivente

Um quarto policial que atendeu à ocorrência e sobreviveu ao tiroteio relatou nesta terça ao G1 como escapou dos tiros. “Quando caí no chão baleado fechei os olhos e me fingi de morto, fiquei assim até não escutar mais nenhum barulho, pois meu medo era que eles voltassem para me matar”, disse.

O sargento Campos recebeu alta na tarde desta segunda-feira (5), após quatro dias internados no Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza, onde passou por cirurgias devido aos tiros que levou no braço direito, nas pernas, sendo um tiro de fuzil na perna esquerda, e um de raspão nas costas, que foi amortecido pelo uso do colete que usava no momento da ação.

“Os médicos disseram que foi um milagre, pois o tiro de fuzil não atingiu o osso, nem a veia femoral, apenas a carne”, afirma. Ele foi recebido com alegria pela família e amigos

Tiroteio
Três policiais foram mortos e um quarto fcou ferido ao atenderem uma ocorrência na localidade de Juatama, na zona rural de Quixadá. O sargento Francisco Guanabara Filho, 50, Joel de Oliveira Pinto, 33, e Antônio Lopes Miranda Filho, 33, foram assassinados a tiros. Eles foram enterrados sob forte comoção no município.

Um quarto policial ficou ferido na perna, mas foi socorrido ao Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza. Ele passou por cirurgia, teve alta e voltou para casa nesta segunda-feira (4).

14 policiais assassinados

Com estes casos, subiu para 14 o número de policiais assassinados neste ano no Ceará. O caso mais recente havia sido no dia 10 de junho, quando um sargento da PM foi o assassinado a tiros no município de Juazeiro do Norte.

*G1 CE
Via: Nosso Paraná RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.