Seguidores

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Servidores públicos municipais de Umarizal/RN aprovam indicativo de greve para o dia 04 de julho

Servidores reunidos na sede do sindicato na tarde desta quarta-feira, 15 (Foto: Sindserpum /Arquivo pessoal)


Servidores públicos do município de Umarizal aprovaram em assembleia na tarde desta quarta-feira, 15, um indicativo de greve para o próximo dia 04 de julho. Nesta data a categoria se reunirá para deliberar se iniciam ou não oficialmente a paralisação. A reunião aconteceu na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindiserpum), na rua Olho D’água do Borges. Além da presidente da entidade, Aucicleide Souza, participou também do ato a vice-presidente da Federação dos Trabalhadores em Administração Pública do Rio Grande do Norte (Fetam-RN), Francisca Luzia da Silva.


De acordo com Aucicleide, a indicativo foi aprovado pelo não cumprimento do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) dos servidores e por melhorias no serviço público. “É o que a gente vem lutando o tempo todo, nossa principal luta. E também por melhorias no serviço público”, disse a presidente.

Aucicleide disse que a categoria tentou de todas as formar buscar um acordo com a administração municipal para evitar o movimento paredista, mas sem sucesso. “O nosso advogado deu todas as sugestões, ideias de possíveis acordos e em nenhum momento foi acatado. A proposta dele é que seria só para janeiro, mas pelo nosso entendimento não se pode deixar dívidas para outras gestões se não sabe que ele [o prefeito] vai continuar. Diante disso a categoria ficou indignada”, afirmou.
Servidores deliberaram pelo indicativo de greve a partir do dia 04 de julho. 
A sindicalista informou que a categoria já irá começar a preparar as atividades de greve e mobilizar a categoria para participar dos atos. “Para ver se realmente essa greve vai ter consistência. Até agora é um indicativo”, explicou.
Juridicamente, o Indicativo de greve é deflagrado pelos trabalhadores para estabelecer uma data mínima para se dar inicio a greve. Contudo, esta decisão não é definitiva, podendo ser alterada conforme a conjuntura que se apresenta para o momento.

Acordos


Em reunião na segunda-feira, o prefeito Marcos Fernandes (PSD) já afirmou que o município não tem condições cumprir com o que determina a lei do PCCS. O chefe do executivo umarizalense alegou as dificuldades financeiras que o município enfrenta. “Se a gente disser que irá cumprir com o plano amanhã, é trancar a prefeitura e entregar as chaves porque não tem como nada funcionar”.


Marcos chegou a mostrar planilhas com a relação dos recursos que são gastos mensalmente para pagar servidores contratados em áreas como saúde e educação e propôs o pagamento de uma letra da categoria a partir de janeiro de 2017. O acordo não foi acatado pelo advogado do sindicato, Liécio Nogueira.


Se deflagrada a greve o prefeito também já avisou: Não há condições de pagar o que determina o plano e os servidores vão ficar paralisados até o final do ano. “A gente lamenta muito. É claro que se tivesses condições, você acha que eu como gestor não iria querer pagar? Sabendo o prejuízo político que eu vou ter? ”, questionou Marcos na reunião.


*O Umarizalense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.