Seguidores

terça-feira, 21 de junho de 2016

Anistia de Temer a estados contradiz discurso do governo quebrado


Após chegar ao poder com um impeachment construído sob a tese de que a presidente Dilma Rousseff quebrou o País com suas "pedaladas fiscais", o interino Michel Temer toma mais uma decisão que contribui para a deterioração das contas públicas, ao conceder aos estados carência de seis meses nos pagamentos de suas dívidas; até agora, Temer já ampliou o déficit para R$ 170 bilhões (o que deve se repetir em 2017), concedeu reajustes ao Poder Judiciário, permitiu a criação de cargos de confiança no Legislativo e concedeu subsídios aos governadores; além disso, aumentos de impostos foram descartados para não contrariar o empresariado; o resultado da gestão provisória será um país em condições fiscais muito piores do que as que foram entregues pela presidente Dilma Rousseff; Temer comentou a renegociação: "Depois de um longo inverno, parece que a luz se acendeu no horizonte".


247 
Via: Jornal A Tromba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.