Seguidores

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Governador faz balanço do primeiro ano de gestão e aponta metas para 2016

O governador Robinson Faria fez um balanço amplo do seu primeiro ano à frente do Executivo estadual e apontou metas para 2016, durante entrevista concedida na tarde desta segunda-feira (21/12) à jornalista Ana Ruth Dantas, no programa RN Acontece, exibido na Band Natal. O programa teve uma hora de duração e pode ser revisto na íntegra no site da emissora.


Na avaliação descrita por Robinson, muitos avanços aconteceram em 2015. “Estamos terminando o ano com metas alcançadas, obras sendo continuadas e servidores com o pagamento em dia. O 13º salário foi pago adiantado. E isso acontece mesmo diante de uma crise financeira, econômica e política que acontece em todo o Brasil”, destacou Robinson, atribuindo este saldo positivo a medidas de gestão.


Uma decisão de governo que contribuiu para que o estado chegasse bem ao fim de 2016 foi, segundo Robinson, a escolha dos secretários por meio de critérios técnicos. Além disso, houve um empenho para devolver a motivação aos servidores. “Trabalho muito neste sentido. Uma equipe motivada se sente muito mais preparada para os desafios”, assinalou. “Estamos em um novo momento, Ana. Todos os fatos estão aí”.


E para 2016, o governador ressaltou que a gestão está se ajustando para alcançar o equilíbrio financeiro. Para isso, foram adotadas medidas severas de contenção de gastos que resultaram em uma economia superior a R$ 300 milhões. “Também transformamos a máquina de arrecadação em uma máquina eficiente”, acrescentou.


Para não recorrer ao fundo previdenciário, Robinson apontou que aposta no crescimento econômico do estado, a partir do favorecimento do empreendedorismo, do fomento a atividade produtiva e da busca de parcerias com a iniciativa privada. Além disso, o governo está fazendo uma auditoria da folha de pagamento, algo inédito no estado e que, ao corrigir anomalias na folha, pode resultar em uma economia próxima a R$ 500 milhões/ano.


“Tudo isso se unirá em 2016. Viveremos um novo momento no equilíbrio da folha de pagamento, e também temos um ajuste fiscal que foi feito. Somando essas atitudes, estou apostando não só na recuperação das contas como no ressarcimento do fundo”, destacou Robinson.


Ao final da entrevista, o governador enumerou algumas metas para o próximo ano. Entre elas, a conquista do hub da Latan, a conclusão de obras importantes como os acessos ao aeroporto e as adutoras em curso, a construção de um novo hospital de trauma e a recuperação da malha viária em todo o estado.


FUNDO - Durante a entrevista, Robinson justificou a utilização dos recursos do Fundo Financeiro Unificado (Funfir). “Optei pela utilização por não achar justo decretar a falência do Estado. Se não usasse o fundo, isso teria acontecido. Ao final do mês, os servidores não receberiam seu salário, o que levaria também à falência do comércio”, destacou.


SANEAMENTO - Robinson assegurou que, até o final de sua gestão, Natal terá o título de primeira capital brasileira 100% saneada. A capital que mais se aproxima disso é Curitiba, que tem 80% de seu território saneado. “Nós temos no nosso lençol freático, a melhor água do Brasil. E essa riqueza ia se perder por causa da contaminação por nitrato, por não ter uma cidade saneada”, assinalou o governador, realçando ainda que cada R$ 1 investido em saneamento corresponde a R$ 5 na Saúde.


SEGURANÇA PUBLICA - “Segurança é, sem dúvida, o maior desafio do nosso governo. Comecei a trabalhar de forma muito intensa nesta área. E hoje, já existem indicadores que mostram redução de homicídios, roubos e furtos”, afirmou o governador ao falar sobre o programa de segurança preventiva Ronda Cidadã, que teve quase 90% de aprovação na área em que foi implantado de forma piloto: Areia Preta, Mãe Luiza e Petrópolis. O projeto foi levado recentemente à Zona Oeste. “Atingimos o ideal? Não. Mas esta é uma política permanente. Enquanto houver tráfico de drogas, haverá violência, mas nosso trabalho é constante”, continuou.


Nesta área, Robinson ainda lembrou que é feita uma compensação do déficit de policiais com o pagamento das diárias operacionais. Além disso, destacou a promoção de mais de 3 mil policiais, entre militares e civis.


SISTEMA PRISIONAL - Para a recuperação do sistema prisional, o governador revelou que é a favor de parcerias público-privadas para a construção e manutenção de presídios. “Funcionaria com uma cogestão, aproveitando nossos agentes e trabalhando junto com setor privado. Deu certo na Bahia, no Amazonas e em Goiás”, afirmou.


SAÚDE PÚBLICA - Através do programa RN Sustentável, serão recuperados nove hospitais regionais no Rio Grande do Norte. Segundo Robinson, os hospitais potiguares, de maneira geral, estavam todos sucateados, com equipamentos encaixotados, servidores desestimulados.


“E não eram só recursos que faltavam. Também faltava gestão. O secretário tem que sair do gabinete e ir a campo. Pedi ao secretário Lagreca um diagnóstico de todos os hospitais”, afirmou. Robinson ainda destacou durante a entrevista que irá entregar ao estado um novo hospital de traumas.


TURISMO - O Turismo é para o governador um dos principais exemplos do novo modelo de gestão adotado por seu governo. “O RN recentemente recebeu 300 voos extras da CVC. Também fui a Portugal e fechei acordo com a companhia TAP e agencia Abreu, que vai vender Natal para toda a Europa. Vamos ter aqueles voos internacionais de volta”. Das obras ligadas diretamente a esta área, Robinson destacou os acessos ao aeroporto de São Gonçalo que estão sendo tocados com agilidade.


EDUCAÇÃO - “A educação é o berço da sociedade. O RN tem indicadores que depõem contra o estado há muitos anos, e a resposta das nossas ações não será em curto prazo”, afirmou, lembrando que primeiro convocou 1300 professores, depois concedeu promoções reprimidas há mais de 10 anos. “Com essas medidas de valorização, o professor se sente motivado. Essa motivação irá mudar o desempenho da educação. Agora, a resposta não será no primeiro ano”.


SECA - Robinson afirmou à jornalista que o governo não tem medido esforços para enfrentar os efeitos da seca no Rio Grande do Norte. Está concluindo a adutora do Alto Oeste, que irá retirar da situação de colapso 12 municípios, e recentemente devolveu água à população de Carnaúba dos Dantas – cidade há mais tempo em colapso no estado.


Em outra frente, o governo está aguardando liberação de recursos do Governo Federal. Dois planos de enfrentamento – um mais restrito de R$ 63 milhões e um macro com orçamento de R$ 300 mi - já foram apresentados ao Governo Federal. Agora, Robinson vai solicitar audiência particular com a presidente Dilma Rousseff, na qual fará o convite para que ela venha conhecer a realidade do RN de perto. 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.