Seguidores

sábado, 7 de novembro de 2015

ONDA DE LAMA AMEAÇA COM ENCHENTES 15 CIDADES DE MG E ES

O Serviço Geológico Brasileiro alertou 15 cidades nos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo para o risco de enchente devido à onda de cheia vinda do rompimento das barragens em Mariana (a 115 km de Belo Horizonte). A previsão é de que o volume de lama e rejeitos despejado pelas barragens de Fundão e Santarém cheguem na segunda-feira (9) em Linhares, no Espírito Santo.

Segundo a empresa responsável pelas barragens, a mineradora Samarco, cerca de 62 milhões de metros cúbicos de rejeitos foram liberados com o rompimento das barragens, o suficiente para encher 24.800 piscinas olímpicas.

A lama que cobriu o vilarejo já passou pelos rios Gualaxo do Norte e do Carmo e desaguaram no rio Doce. O alerta foi disparado para as cidades de Ponte Nova, Nova Era, Antônio Dias, Coronel Fabriciano, Timóteo, Ipatinga, Governador Valadares, Tumiritinga, Resplendor, Galileia, Conselheiro Pena e Aimorés, em Minas Gerais, e Baixo Guandu, Colatina e Linhares no Estado do Espírito Santo.
  
Os informes são atualizados e podem ser acessados no site do órgão. A intenção é que eles sirvam de parâmetro para as defesas civis municipais balizarem as medidas que deverão ser tomadas. O risco de enchentes em cidades cortadas pelo rio, no entanto, somente será avaliado na manhã deste sábado (7) pelo serviço. De acordo com o engenheiro hidrólogo Artur Matos, a onda de lama deve chegar ao Espírito Santo na tarde da próxima segunda-feira (9), em Colatina. 

A Prefeitura de Governador Valadares emitiu uma nota na qual prevê que a lama passe pelo rio Doce, na extensão que abrange a cidade, na madrugada de domingo (9). O informe não traz alerta para o risco de uma enchente. "A Defesa Civil esclarece que, de acordo com os dados obtidos, o que vai chegar em Governador Valadares é a lama na água do rio Doce, o que não significa que haverá inundação, ou seja, o rio Doce permanecerá no leito". A prefeitura condicionou o fornecimento de água à população ao monitoramento e análise da água quando a lama atingir a região. O Serviço Autônomo de Água e Esgoto da cidade irá monitorar a qualidade da água do rio.


A administração de Governador Valadares adiantou que a empresa responsável pelo abastecimento de água da cidade entrou em contato com outras cidades e disse ter recebido a informação de que o tratamento adotado por elas tem sido suficiente para manter o abastecimento ativo, sem necessidade de interrupção.

Já a Prefeitura de Linhares, no Estado do Espírito Santo, declarou por meio de nota que a onda deverá passar pela cidade, na calha do rio, entre a noite de segunda-feira (9) e a madrugada de terça-feira (10). Não há menção à possibilidade de enchente. O boletim descarta ainda a previsão de contaminação da água ofertada para os moradores em razão de a captação ser feita no rio Pequeno. A prefeitura informou ainda que fez uma barragem nesse rio, em outubro deste ano, que servirá agora como uma barreira para evitar o contato da água do rio Doce com a do rio Pequeno.

Mais cedo, a ANA (Agência Nacional de Águas) informou que está fazendo avaliação do impacto ambiental para ver como e quanto as populações das cidades próximas onde houve o rompimento da barragem serão afetadas. A ANA fará ainda um plano de avaliação e trabalho para tentar encontrar uma forma de diminuir o impacto.

Cerca de 500 pessoas foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros. Eles abandonaram as casas e fugiram para partes altas do distrito, mas afirmaram que nenhum sinal de alerta foi emitido. A Samarco admitiu que avisou moradores somente por telefone.  

As barragens se romperam por volta das 15h30. A do Fundão, que é maior, sofreu a ruptura primeiro. O subdistrito de Bento Rodrigues, situado a 35 km do centro da cidade história de Mariana, foi tomado pela lama resultante do rejeito da produção de minério de ferro. A avalanche destruiu a maioria dos imóveis. De acordo com a Samarco, o rejeito é composto, em sua maior parte, por areia e não apresenta nenhum elemento químico danoso à saúde. 
 
Fonte: UOL notícias/ Cidades: História e Cotidiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.