Seguidores

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Em assembleia, grevistas da UERN decidem manter paralisação

Os professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, em greve desde o dia 25 de maio, decidiram manter a paralisação. A Associação de Docentes da UERN (Aduern) definiram pela manutenção do movimento durante assembleia realizada na manhã desta terça-feira (20) em Mossoró, na região oeste do Estado.

Professores da UERN optaram por manter paralisação durante assembleia realizada nesta terça-feira, me Mossoró
De acordo com o comunicado postado pela Aduern em uma rede social, a associação deve esperar pela decisão judicial do desembargador Conérlio Alves, que aguardava uma definição da audiência de conciliação entre o Governo do Estado e os grevistas.

Audiência não alcançou acordo

Durante o encontro realizado ontem (19) no prédio da Governadoria, em Natal, a chefe do Gabinete Civil do governo, Tatiana Mendes Cunha, recebeu o comando de greve, em audiência da qual participara, ainda, a deputada federal Fátima Bezerra, o deputado estadual Fernando Mineiro, ambos do PT, e o reitor da UERN, Pedro Fernandes, e afirmou que o governo “não podia se comprometer” com o pleito dos grevistas – de estabelecer um acordo até 2017 para concessão de reajuste salarial.

Tatiana Cunha afirmou que o governo não pode assumir o compromisso de dar o reajuste de 52% em duas vezes, diante da limitação imposta pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Segundo ela, a posição do governo é de voltar a conversar com os servidores e professores da Uern a respeito de reajuste salarial, se dentro de dois anos o Estado tiver superado a questão do limite prudencial imposto pela LRF.

O governo pede a imediata suspensão da paralisação dos servidores da Uern, o que deverá ser julgado pelo plenário da Corte na sessão ordinária da manhã desta quarta-feira (21).

Para o desembargador Cornélio Alves, o que impediu a negociação foi o Governo não aceitar a extensão do auxílio transporte de 12,3% para os inativos. A categoria também pede a reposição dos dias parados, através da apresentação de um calendário de reposição; e negociação para a concessão da reposição com a melhora da situação fiscal do Estado.

Técnicos voltam ao trabalho amanhã

Mesmo com a manutenção da greve dos professores, os servidores técnicos administrativos da UERN decidiram voltar ao trabalho a partir de amanhã (21). Eles estavam em greve desde o dia 25 de novembro e acataram a proposta do Governo do Estado que prevê abono de 12,035% de auxílio transporte aos servidores ativos e a concessão de reajuste para ativos e inativos a partir de 2017, dependendo do Limite Prudencial.

O Governo também se comprometeu a realizar concurso público para preenchimento de vagas provenientes de aposentadorias e falecimentos, em fevereiro de 2016. Também consta na proposta, a liberação de recursos para conclusão de obras em andamento na UERN. 

Fonte: Tribua do Norte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.