Seguidores

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Crise Hídrica...Metade das cidades no estado está em colapso ou rodízio de água!

Rodízio no abastecimento de água já atinge 80 cidades no Rio Grande do Norte

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte – CAERN, ampliou de 42 para 80 o número de cidades com sistema de rodízio no abastecimento d’água. Além dessas novas 38 sede municipais, até o final do ano, outras devem passar pelo mesmo problema devido à falta de chuvas que prolonga a seca no RN em quatro anos consecutivos. E já se trabalham ações contra estiagem até 2017.


Por causa da estiagem, a Caern já investiu em recursos próprio, R$ 8,8 milhões e metade disso, R$ 4,7 milhões, foi para contratação de carros-pipa e R$ 2,1 milhões para compra não prevista no orçamento, de material químico para tratamento da água que entra no sistema oficial da Companhia.



O diretor-presidente da Caern, Marcelo Toscano, explicou em coletiva hoje pela manhã que as perspectivas de seca até 2017 porque os reservatórios utilizados pela Companhia para abastecimento está cada vez mais baixando o nível do volume armazenado.

Segundo o secretário estadual de Recursos Hídricos, José Mairton Franca, o governo quer assegurar a conclusão de obras das adutoras Alto Oeste e Umari até final do ano. Porém, apesar de prometido, o  Ministério da Integração Nacional ainda não liberou nenhuma parte do montante de R$ 63 milhões que o governador Robinson de Faria solicitou, em setembro, para ações de enfrentamento emergencial aos efeitos da seca. O secretário explicou que os recursos são para contratação de carros-pipa, perfuração e instalação de poços, e compra de forragem para alimentação animal.

O diretor presidente do Instituto de Gestão de Águas (Igarn), Josivan Moreno Cardoso, anunciou que até o final do mês deve ser editada uma resolução em parceira com a Agência Nacional de Águas (ANA) para o disciplinamento do uso das águas da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do estado, localizado em Assu, no Oeste do RN.

A intenção é priorizar água para abastecimento humano e ditar regras para a utilização na agricultura irrigada. Não há possibilidade de suspensão de fornecimento para nenhum consumidor, como a TermoAssu, a termelétrica da Petrobras uma das maiores consumidoras da Armando Ribeiro Gonçalves.
Via: O Mural de Riacho da Cruz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.